Você sabia que crianças também precisam de fisioterapeutas? A Fisioterapia Pediátrica é uma área da saúde em crescimento e abrange cuidados de reabilitação e de prevenção  de recém-nascidos, bebês, crianças e até mesmo de adolescentes.

As oportunidades do mercado de trabalho para o profissional da Fisioterapia Pediátrica são muitas, e o principal foco é o tratamento de problemas motores, que podem ser congênitos ou adquiridos após o nascimento. O fisioterapeuta ajuda crianças e adolescentes a levar uma vida mais independente, saudável e confortável.

Neste texto, vamos falar sobre essa área da Fisioterapia, que pode ser muito gratificante para quem gosta dos pequenos. Além disso, você vai saber quais tipos de capacitação são necessários para se especializar. Confira abaixo!

 

O que a Fisioterapia Pediátrica trata?

Problemas motores afetam algumas crianças que podem precisar de cuidados durante toda a vida. O tratamento busca melhorar a qualidade de vida e a independência da criança: daí a necessidade do fisioterapeuta pediátrico. Entenda abaixo quais são os principais casos que podem se beneficiar do trabalho desse profissional.

 

Paralisia cerebral

A paralisia cerebral afeta diretamente o sistema nervoso da criança ainda durante o nascimento. A lesão pode ocorrer também imediatamente antes ou logo depois do parto. Assim, ocorre com consequente atraso no desenvolvimento das funções motoras

O fisioterapeuta acompanha a resposta motora da criança e desenvolve atividades que buscam estimular o desenvolvimento neuropsicomotor, prevenir deformidades, trabalhar o equilíbrio, dentre outros cuidados.

 

Síndrome de Down

A síndrome de Down é uma condição de caráter genético, que tem como um dos sinais o desenvolvimento motor mais lento que a média. Há grande fraqueza articular e muscular envolvida, além de hipotonia.

A Fisioterapia Pediátrica trabalha o desenvolvimento motor da criança com esse problema e a auxilia nos movimentos e no tônus muscular.

 

Distrofia Muscular de Duchenne (DMD)

Há uma distrofia muscular progressiva, ou seja, os músculos enfraquecem de forma gradual e ocorre predominantemente em crianças do sexo masculino; segundo dados, acomete uma a cada 3 mil nascimentos.

Portanto, o papel do fisioterapeuta é retardar ao máximo essa evolução do enfraquecimento muscular, oferecendo maior mobilidade e ajudando o paciente a encontrar novas formas de se locomover dentro das suas limitações.

Essas são as principais doenças para as quais, como podemos ver, a atuação de um profissional é imprescindível. A atuação do profissional, entretanto, não para por aí.

Outras situações comuns podem ocorrer, como fraturas ósseas – o profissional dessa área exerce o papel reabilitador nesses casos, garantindo que o membro atingido não fique comprometido.

 

Especialização do fisioterapeuta pediátrico

Após se graduar em Fisioterapia, o profissional que deseja trabalhar com Fisioterapia Pediátrica deve fazer uma especialização. Mas onde encontrá-la e como saber que está fazendo a escolha certa? Confira as dicas abaixo.

 

Infraestrutura

Antes de cursar uma especialização, informe-se sobre a estrutura da instituição. Laboratórios, biblioteca com bibliografia atualizada e clínicas-escola fazem toda a diferença em uma boa formação.

 

Nota do MEC

Consulte o site do Ministério da Educação e confira a nota do MEC para o curso no qual deseja matricular-se. Procure escolher um que conte com boa nota, o que é uma garantia maior de formação de excelência.

 

Onde o fisioterapeuta pediátrico atua

O campo de atuação desse profissional é bem vasto (confira aqui também sobre Fisioterapia Desportiva). É possível atuar em hospitais que tenham a ala infantil e também em clínicas de todos os portes que ofereçam os cuidados para esse público.

Também há instituições renomadas como a APAE (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais), que atende crianças com deficiência intelectual e em alguns municípios mantém centros médicos que contam com fisioterapeutas.

Há também a possibilidade de atuação em domicílio, o que, em se tratando de Fisioterapia Pediátrica, é um excelente caminho. Realizar o tratamento das crianças em um ambiente íntimo e confortável como a própria casa pode ajudar no tratamento.

Se você tem vontade de se tornar um fisioterapeuta e gosta de crianças, não deixe de pensar nessa área. Pode ser muito gratificante trabalhar com o que se gosta e trazer tantos benefícios para a vida dos pequenos.

A fim de ter mais oportunidades, é necessário buscar por uma boa instituição de ensino na hora de fazer a sua graduação em Fisioterapia (será a base do seu conhecimento) e também um curso de especialização que vai diferenciá-lo dos outros profissionais do mercado.

Na FASEH, oferecemos oportunidades de prática na Fisioterapia, com uma clínica-escola bem equipada e parcerias com instituições de saúde de toda a região. Quer atuar na Fisioterapia Pediátrica e fazer um curso que traga oportunidades no mercado? Dê o primeiro passo e faça o curso de Fisioterapia na FASEH!

17 de janeiro
Fisioterapia Esportiva: conheça as oportunidades nessa área de atuação